sexta-feira, 26 de agosto de 2005

Ateus... Ateísmo

A propósito do que li nestas férias...:

"Aqueles que se dizem ateus têm como assuntos preferidos falar sobre Deus ou da ideia da negação de sua existência. Todo o ser humano, não importa quem seja, ateu ou não, gosta de ter Deus na pauta das suas mais importantes ideias.
A maioria dos ateus realmente não acreditava em Deus? Não. A maioria dos ateus fundamentou o ateísmo não num corpo de ideias profundo sobre a existência ou não de Deus. O seu ateísmo era o resultado da indignação contra as injustiças, incoerências e discriminações socio-políticas cometidas pela religiosidade reinante em determinada época.
Quando todos pensavam que Voltaire, o afiado pensador do Iluminismo francês, fosse um ateu, ele proclamava no final da sua vida: " Morro adorando a Deus, amando os meus amigos, não detestando os meus inimigos mas detestando a superstição". A maioria dos ateus possuía e possui um ateísmo social, um sócio-ateísmo, alicerçado na anti-religiosidade, e não numa produção de conhecimento inteligente, descontaminado de distorções intelectuais, de paixões ateístas e tendencialismos psicossociais sobre a existência ou não de Deus."

Augusto Cury, in "O Mestre dos Mestres"

2 comentários:

jl disse...

Tema complexo e de discussão sem fim.
O final do último parágrafo encerra um mundo de contradições que servem para desacreditar os que se dizem ateistas mas que não fundamentam, a contrario, os que se declaram crentes.
Como tema de leitura para férias não está mal!

CAA disse...

Não tenciono discutir o conteúdo do texto até porque presumo que se baseia numa fé verdadeiramente sentida. Que respeito.
Mas contesto (não é a primeira vez) que Voltaire tenha dito coisa semelhante. A falácia da conversão de Voltaire ao cristianismo no seu leito de morte já foi desmascarada e está completamente desacreditada.
CAA