terça-feira, 13 de junho de 2006

Esta tarde a trovoada caiu
Pelas encostas do céu abaixo
Como um pedregulho enorme...
Como alguém que duma janela alta
Sacode uma toalha de mesa
E as migalhas, por caírem todas juntas,
Fazem algum barulho ao cair,
A chuva chovia do céu
E enegreceu os caminhos...
Quando os relâmpagos sacudiam o ar

E abanavam o espaço
Como uma grande cabeça que diz que não,
Não sei porquê - eu não tinha medo -
Pus-me a rezar a Santa Bárbara
Como se eu fosse a velha tia de alguém...

Alberto Caeiro, "O Guardador de Rebanhos"
... porque hoje faz anos que Ele nasceu... e o tempo me fez recordá-Lo!!

2 comentários:

Joao Manuel disse...

De facto, muito a propósito!

Pedro Morgado disse...

Sem dúvida :)