terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Não (5) - Ainda outra questão...

«Porque é que as leis humanas parecem interessar-se mais pela protecção de certas espécies vegetais (como o cortar de determinada árvore) ou animais (como os ovos de cegonha) do que com a do ser humano em embrião ou feto?»

Uma pertinente questão colocada por um homem por quem nutro uma especial admiração - D. António Marto, Bispo de Leiria-Fátima, na homilia de 1 de Janeiro de 2007.

Por João Manuel

4 comentários:

Por um canudo disse...

Eu bem que andava desconfiado com estes ecologistas.Ainda um dia destes vi na televisão a defender o sim a mesma pessoa que havia visto a revoltar-se contra os touros de morte em Marrancos

joão manuel disse...

Caro "por um canudo", permita-me a correcção... Os touros de morte são em Barrancos e não em Marrancos...

Kordny disse...

Não sabia que era proibido matar leitões. Acho mal. Uma forma de vida tão incipiente deve ser massacrada a bel-prazer dos seus apreciadores. Um feto pelo menos já tem alma e espírito, existência jurídica e até individualidade. Gosto mesmo de leitão.

Anónimo disse...

Sim, o ser humano acima de tudo, desde a concepção.
JOSIMO