segunda-feira, 1 de janeiro de 2007

a propósito de compreensão, paz, tolerância, vida...

Os católicos(...) e o aborto

"E os não católicos devem ter, em relação aos que o são, uma compreensão especial, mesmo do do ponto de vista político. É que para nós essa vida em formação é a de um ser que acreditamos ser filho de Deus, algo que nos merece, mesmo antes de nascer, um respeito enorme, sagrado."
ANTÓNIO CÂNDIDO OLIVEIRA, in Diário do Minho

8 comentários:

Por um canudo disse...

Estamos de acordo, mas o artigo parece-me um pouco piegas. Como dizia o outro algures "Um cristão não tem medo!!!"
Bom ano a todos

Anónimo disse...

Ou será que dizia:
"Um Cristão não teme" ?

Ana disse...

O título do post diz tudo...
"...compreensão, paz, tolerância, vida..."

Seria bem mais fácil se todos fossem capazes de fazer jus a estas palavras!

Anónimo disse...

Importante para mim é debater se uma mulher deve ou não ser punida pela prática de aborto...Quanto aos católicos, é mais do que necessário lembrar que uma das pedras basilares do Estado democrático é a sua laicização!!! Está na consciência de cada um tomar uma decisão..

Ass. Bilinho

Anónimo disse...

Um respeito enorme, sagrado, merecem todas as crianças que continuam a ser vítimas de actos macabros, inomináveis. Porque a sociedade as obrigou a nascer. E depois as abandonou. Pobre país, atrasado, retrógado, falso-moralista, este em que vivo.

Pedro Morgado disse...

Bilinho,
Disseste tudo!

joão manuel disse...

Bem, isso não é laicização. Chama-se, no mínimo perseguição religiosa...
Do comentário do Bilinho, subscrito pelo Pedro, retiro que eu, como sou católico, e em virtude de uma pretensa laicização, não posso ter opinião.
Felizmente ainda existe uma Constituição em Portugal que me protege!

Anónimo disse...

Acho que fui explicíto quando disse, que a decisão está na consciência de cada de individuo ou eleitor!!! Penso que não se deve pegar numa "consciência colectiva" de modo a camuflar uma decisão que se quer inteiramente pessoal e sem influências externas. Já agora, esclareço que não tenho nada contra o catolicismo...

Ass: Bilinho