quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Uns são supostamente "corruptos"; outros são claramente snobes

"Piers Merchant, assessor do eurodeputado Roger Knapman, citado pelo semanário "Sol" on-line, acusa o sistema judicial português de ser "corrupto" e refere que o Governo inglês se tem envolvido no apoio ao casal McCann porque "Portugal não tem uma verdadeira tradição de direitos civis, liberdades e democracia".


FONTE: JN, 14 de Novembro

Apetece dizer que: palavras vãs, ou será (?), vozes de burro não chegam ao céu.
Como pode um pretenso fidalgo british ser tão irresponsável ao ponto de acusar e difamar uma entidade pública sem ter provas e fundamentos?
Na verdade, não passa de um assessor sem quaisquer qualificações e de Direito/Justiça provavelmente só terá ouvido falar por intermédio da comunicação social.
Como o próprio PGR afirmou: "a resposta a dar a um deputado europeu tem de ser política e não jurídica."

3 comentários:

HMAG disse...

Precisamos de um "Rei" para mandar calar este e'?

Cristina disse...

E eu que julgava que as ideias de cooperação entre os Estados-Membros (e entre os órgãos e autoridades de cada Estado)era já uma realidade! Utopia, por certo! É bem mais fácil "limpar" a imagem de um cidadão britânico porque este senhor considera que «em qualquer circunstância os cidadãos britânicos devem ser protegidos contra sistemas estrangeiros duvidosos».
Atenção!! Nas suas palavras, Portugal, além de não ter historial de direitos humanos, de liberdade e democracia, tem muitos polícias que foram treinados sob o regime fascista, sendo que as instituições ainda reflectem isso.Que discurso, hein?!
Tenho pena que tamanhas barbaridades tenham sido ditas e que as pessoas confundam os factos; só lhes falta imputar o desaparecimento de Maddie às autoridades portuguesas, que não a "vigiaram" enquanto os seus pais, descansadamente, tomavam uma refeição num restaurante...Depois nós é que não temos tradição em direitos humanos...
São atitudes pseudo-elitistas como estas que põem em causa a essência da União Europeia e que desacreditam quaisquer tratados em matéria tão fundamentais como a Justiça. No entanto, creio que os restantes parceiros europeus saberão, convenientemente, valorar estas afirmações tão snobes, como já foi dito.

fonte:
(http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=879091&div_id=291)

Graza disse...

É sempre bom encontar alguma reacção, ainda que de luva branca, no meio de tantos silêncios e prudências.
Fiz link do seu post para o meu.