domingo, 19 de fevereiro de 2006

Educação sexual…

Pelo que soube, os Ministérios da Educação e da Saúde já assinaram um protocolo para que as escolas portuguesas tenham gabinetes de aconselhamento de Educação Sexual à disposição de alunos interessados.

Confesso que esta ideia (já) aprovo e não a de ter que imaginar como seriam as aulas de uma disciplina de Educação Sexual, onde os alunos colocariam questões de foro extremamente pessoal perante uma sala repleta de coleguinhas de turma… Não vejo a necessidade de criarem e integrarem no plano curricular de um aluno a obrigatoriedade de uma disciplina unicamente com este tipo de conteúdos! Um gabinete de apoio será, na minha opinião, o mais adequado e eficaz para, num espaço íntimo e livre de qualquer exposição e chacota de outros, ouvir e aconselhar os adolescentes!
Por outro lado, a ideia de entregar e distribuir preservativos de uma forma descontextualizada, desmesurada e sem qualquer informação num meio escolar é algo completamente contrário à educação que se pretende fazer num espaço como este. A Escola não é um supermercado!!!
Convém, também, sublinhar que este gabinete é um complemento à educação que os pais devem proporcionar em casa e não um substituto!

3 comentários:

Pestana disse...

Concordo e assino em baixo... Aliás, referis-te muito bem um ponto: a educação sexual das crianças deve ser feita junto aos pais primáriamente... e isso é mais um dos engenhos que tem falhado...

Pedro Morgado disse...

Defender Educação Sexual não é defender uma disciplina específica de Educação Sexual...
Concordo com a iniciativa. Mas acho que não resolve tudo!

Hugo Torres disse...

"... à disposição de alunos interessados." Não parece eficiente; logo não parece adequado.
No plano curricular, é na cultura da piadinha que está o problema, e não na aula conjunta sobre sexo. O gabinete vislumbra-se óptimo para questões de "foro extremamente pessoal" - é um complemento.