domingo, 26 de março de 2006

CINEFILTRAGENS

10 comentários:

Sónia Monteiro disse...

Talvez neste Filme, um dos protagonistas, Ribeiro e Castro reencontre mais rapidamente a sua identidade, depois de um certo congresso.

de la Serna disse...

Reencontrava mais depressa a sua identidade se tivesse assento no parlamento... Agora com o principal opositor interno na bancada do CDS/PP como é que o homem vai mandar vir lá dentro? Se calhar no próximo congresso os democratas cristãos dizem adeus Ribeiro e Castro e olá Telmo Correia...

COMEDIDO disse...

Um social democrata ficaria ofendido ao ver tal ofensa dirigida ao líder do partido.Muito certamente.Mas, ao invés disso, e na actualidade, fica "satisfeito" ao saber que ao percorrer essa mesma busca de identidade, irá ajudar os senhores do Partido Socialista a encontrar o deles, pois é notório que as políticas tomadas no primeiro ano de governo de J.S. nao se identificam em nada com aquelas tomadas pelo ex. PM socialista( que deu aos portugueses um sonho côr-de-rosa, mais tarde transformado em pesadelo, lembram-se os senhores??)....mas, os sociais democratas terão todo o prazer em "construir o caminho" aos socialistas para que eles nos possam acompanhar, e assim encontrar essa, tao saudosa, identidade.

de la Serna disse...

Comedido o que é que andas para aí a dizer?

Fala-se aqui da falta de liderança dos partidos visados e não das políticas tomadas por José Sócrates durante o último ano e a sua hipotética correspondência com as políticas guterristas!

E mais, quando se fala de dois partidos (PS e PSD) quem é que quer acompanhar quem?

Não têm os partidos ideias diferentes para o país, apesar do chamado "centrão" por serem de alas ideológicamente diferentes (apesar de na sua gênese o PSD ser um partido de esquerda, enveredou por alas mais liberais, afirmando-se agora de direita)?

E se o sonho cor-de-rosa de Guterres acabou sendo um pesadelo porque é que agora vens dizer que os sociais-democratas têm todo o prazer de conduzir os socialistas para os acompanharem e encontrarem a tão saudosa identidade?

Afinal o sonho era bom ou era mauzinho?

Os sociais democratas querem dar um novo sonho a Portugal ou o de Guterres?

E se sim o de Guterres,e partindo do pressuposto que se tornou um pesadelo, porque é que querem dar um pesadelo ao país?

Comedido, enquadra-te. Tenta limitar-te ao tema proposto pelo post. Não leves a discussão por caminhos que não são os seus, ou melhor, não a deixes cair ao início porque depois ela perde o rumo.

Por último, não vejas os partidos como um clube de futebol ou uma religião, é que estes podem e devem ser criticados porque mexem na vida de cada um de nós.

Abraço

Eins disse...

Apoiado, de la serna. Lembras-te da questão do CPE? Aí está, o teu último parágrafo era um dos meus principais pontos de vista.

Greetings ;)

de la Serna disse...

Eins, acho que nos encontramos pela primeira vez de acordo:)

Abraço

Sónia Monteiro disse...

os males da «partidocracia», eis onde Eins concordou com DE la Serna... :)

COMEDIDO disse...

De la Serna,

Em primeiro lugar devo dizer que esse teu comentário é um momento de transposição da verdadeira situação de calamidade em que vive a tua "ala" política. Sufocados pelos medo de um dia terem de saír do chamado "centrão", e forçados a tomar uma posição. Aí não poderão ir muito além da ideologia politica que dizem seguir e se apresentaram a um ano atrás, logo, obrigatoriamente terá de corresponder (socialista e não pessoal)às de António Guterres.

Quanto à de quem acompanha quem na busca de identidade, obviamente terá de ser o PS a acompanhar o PSD.

O sonho(mau)...é o que estás a pagar agora!!21%...

Teremos(PSD) todo o gosto em acabar com essa indecisão que vos perssegue à tanto tempo...poderia dizer imenso, mas para quê?Até diria se não soubesse de que lado da bancada estás(dogmaticamente e ao mesmo tempo, como diria Ribeiro e Castro "assenta que nem uma luva" nas mãos da mesquinhice) e suportado pelas estacas sobradas da direita.Poderia ferir esse dogma e ai, não seria necessário procurar essa identidade...seria obviamente, de direita!

Até la, têm tempo de se preparar...

Abraço

Pedro Teles disse...

Caro comedido:

Terá de ser o PS a acompanhar o PSD - deixe rir, onde leu isso, na "Voz do Povo".

de la Serna disse...

Comedido, continuas a não saber o que estás a dizer e ainda não comentaste verdadeiramente o post!

Deixa-te de devaneios oníricos e diz algo que seja verdadeiramente digno de chamar de... algo!!!

Pergunto-me quando é que irás perceber o que disse no meu anterior comment!

Mais uma vez falas de coisas que não percebes e nota-se que não sabes o que estás para aí a dizer(desculpa a redundância...).

Como é que podes chamar ao meu comentário um momento da verdadeira situação de calamidade em que vive a minha ala política, presumindo que pensas que sou socialista (serei?)? Eu só comentei o facto de tu teres tecido um comentário completamente descabido ao tema do post, desmontando cada frase tua e questionando o porquê das tuas afirmações, às quais ainda não respondeste. Chama-se a isto uma mescla de hermenêutica socrática e lógica argumentativa :))

Como é que o PS ( que de acordo com o que dizes deve ser a minha ala política) está sufocado com um medo de um dia ter de sair do centrão e ser forçado a tomar uma posição? Pergunto-me: será que sabes o que quer dizer o "centrão"? Parece-me que não... Tens de te informar melhor um bocadinho.

Falas ainda em ideologia política seguida pelo PS e que esta terá de ser igual à de Guterres! Meu caro, vou-te explicar umas coisinhas. Um partido tem a sua prória ideologia, esta pode ser interpretada de forma diferente consoante as pessoas que estão à frente do mesmo, mas continua a ser a base das políticas levadas pelo partido. Logo se Guterres governou de uma forma, Sócrates irá governar de outra, apesar da ideologia do partido ser a mesma, não sei se atingiste... Isto leva-nos inevitávelmente para a questão do centrão, PS ou PSD, diferenciam-se um pouco, enquanto que o PSD vê a sociedade com um modelo de governo mais perto dos ideais neo-liberais (apesar de não descurar totalmente o papel do Estado Social), o PS também não rejeita o capitalismo apenas o perspectiva de uma forma diferente, à boa maneira de Bernstein.

Quanto à busca de identidade... será que ainda não percebeste que se está a falar dos líderes dos partidos? Talvez se não tivesses uma visão tão cónica conseguisses perceber o post. Um líder deve personificar o espírito do partido e ter uma imagem forte junto da opinião pública, coisa que parece não estar a acontecer de momento (ideia esta que levou o autor deste post a publicar o mesmo). Tu, tal e qual virgem desflorada sem saber por quem, apontaste baterias contra o PS e que este não tinha identidade... Cai na realidade, o PS, quer queiras quer não está no poder, se calhar porque teve um líder que no momento certo conseguiu juntar uma maioria da população em seu volta! Mais uma vez, não te conseguiste cingir ao tema e levaste a conversa para lados que não são os seus. Ninguém deve acompanhar ninguém!!!!!

Sonho mau... estou a pagar 21% de quê? De IVA ou da percentagem que o PSD teve nas últimas legislativas?

Comedido, se não tens consciência do que escreves, tenta não te alargares muito, porque inconscientemente podes estar a falar sem saber muito bem do quê...

Até ao próximo comment tens tempo de te preparar...

Por enquanto contenho-me eu nos comentários.

Abraço